Figura2+VivianeDoencas_000gnbxru0m02wx5o

FUNGOS

LIXA DAS FOLHAS 

     A lixa-grande, provoca a morte prematura das folhas inferiores, diminuindo em até 50% a área fotossintética e deixando os cachos mais velhos sem sustentação, com a consequente queda de frutos imaturos. Quando o ataque é severo, os cachos ficam totalmente sem suporte, pendem, e os frutos caem.

Fungo : Coccostromopsis palmicola

Fonte : EMBRAPA

DSC_0016.jpg

QUEIMA DAS FOLHAS 

     

      A doença manifesta-se pelo empardecimento, ressecamento e morte prematura das folhas do coqueiro. Reduzindo em 50% a área foliar e consequentemente a produção.

Fungo: Botryosphaeria cocogena

Fonte : EMBRAPA

IMG_4399_edited.jpg
Mês 0
IMG_2792_edited.jpg
Mês 12

INJEÇÃO DE FUNGICIDA

 

    Evidência o aumento de 10 de folhas e 60 frutos, em média a mais por planta. Neste experimento: 2 injeções semestrais de 15ml  do fungicida sistêmico Alto 100 Syngenta. 

​ÁCARO

54e2d5_9ce6a8d2e64c4752b8944096aa3a514e~

​ÁCARO VERMELHO DAS PALMEIRAS

      Os adultos medem em média 0,3 mm e podem ser vistos a olho nu ou com auxílio de lupa. Estes ácaros formam colônias,  vivem principalmente na superfície inferior das folhas. Causa amarelecimento e ressecamento das folhas e, até morte de plantas jovens. A perca de produção é estimada em 50%.

Fonte: EMBRAPA

MOSCA BRANCA​

IMG_2671.jpg

MOSCA BRANCA​

    A face inferior dos folíolos coberta por uma camada branca e cerácea e por inúmeros fios alongados, translúcidos e açucarados que se dissolvem ao serem tocados. Tanto a camada branca e serosa quanto a fumagina (fungo) são barreiras físicas que interferem nos processos de fotossíntese e respiração da planta, causando consequentemente, redução da produção. Um ataque severo de mosca-branca pode atingir todos os folíolos de todas as folhas do coqueiro. Se não controlada, as percas em produtividade podem inviabilizar a cultura do coqueiro.

Fonte : EMBRAPA

INJEÇÃO DE ACARICIDA 

 

    Evidência do lado direito da estrada vs lado esquerdo (testemunha) após uma injeção de 30ml (15ml de Abamex Sumitomo + 15ml  do fungicida sistêmico Alto 100 Syngenta.)

 As folhas novas não apresentaram sintomas de ácaro ou de mosca branca.

compara_edited.png

Rhynchophorus palmarum

BROCA DO OLHO DO COQUEIRO

      É uma praga importante, pois os danos podem ser causados tanto pela larva quanto pelo adulto. Ataca diversas palmáceas, como o coco, dendê e o palmito. É vetor do nematoide. As larvas destroem os tecidos meristemáticos durante a sua alimentação, fazendo galerias em diversas direções. A folha mais nova da planta atacada apresenta-se malformada e esfacelada em virtude da penetração do adulto.

Fonte : EMBRAPA 

NEMATOIDE

ANEL VERMELHO

 

          O anel vermelho do coqueiro, doença provocada por um nematoide, causa sérios danos à produção do coqueiro em todo país e mortalidade de dendezeiros no Sul da Bahia e na Amazônia. Além do coqueiro, o dendê, a tamareira e algumas palmeiras nativas e ornamentais são também susceptíveis ao anel vermelho. Os sintomas típicos da doença são a queda prematura dos frutos, murcha das inflorescências, amarelecimento, bronzeado, morte progressiva e queda das folhas, ficando o estipe nu e ereto durante muito tempo. O principal agente de transmissão da doença é a broca-do-olho do coqueiro (Rhynchophorus palmarum).

Nematoide : Bursaphelenchus cocophilus

Fonte :  EMBRAPA

INJEÇÃO DE ACARICIDA

 

          A injeção do Abamex Sumitomo é utilizada como forma de controle da Broca do olho do coqueiro, associada ao uso de armadilhas utilizando melaço de cana. No caso do ataque por nematoide não há uma forma de controle direta, a injeção é utilizada como forma de controle do indivíduo transmissor Rhynchophorus palmarum. Quando for constatado que há plantas infectadas em campo é necessário a retirada dessas da área.

SEGURANÇA

     Os resultados das análises permitiram constatar, tanto na injeção quanto na infusão, a translocação dos agrotóxicos no estipe até a copa das plantas tratadas. Nos frutos, coletados até 120 dias após os tratamentos, não foi detectada nenhuma contaminação, tanto no albúmen sólido quanto na água de coco, comprovando que o método endoterápico pode ser eficaz no controle de doenças e pragas caulinares e foliares nos coqueiros e não oferece risco em relação à contaminação do coco.

Fonte: Jordana Alves Ferreira UNICAMP

Observação: Alto 100 Syngenta  não é registrado para a cultura do coqueiro, portanto não é comercializado pela VITA CAULE. O Abamex Nufarm tem registro para a cultura do coqueiro, porém nunca foi e nunca será comercializado pela VITA CAULE, empresa que se dedica somente a fabricação de ferramentas. Experimento realizado com fins científicos e informativos.